AMÉM

Sete da manhã. O terço ao lado da cama balança quando ela se levanta. Um café da manhã simples, cabelo arrumado, chave do carro em mãos. Abençoe, Deus, mais esse dia.

Fonte: http://ventingreal.tumblr.com/

No trânsito, apenas idiotas. Por que esse infeliz não acelera? Tinha que ser negro, mesmo. Mais adiante, decide fechar o cruzamento. Só uns segundinhos. Não vai atrapalhar ninguém. É necessário; já está atrasada. À sua esquerda, um homem reclama. “Ah, cuide da sua vida!”, grita, já nervosa. Tatuado desse jeito, só podia ser delinquente.

Estacionamento, finalmente. Os sapatos ecoam no chão de cimento. Finge não ver o morador de rua estendendo a mão e pedindo por comida.

Distraída, sem olhar por onde anda, tropeça em um vira-lata igualmente descontraído. Xinga, grita e dá alguns chutes naquele cachorro fedorento que quase quebrou seu salto.

Durante o dia no escritório, lamenta o fato de só ter funcionários incompetentes. Ninguém faz nada direito por ali, são todos parasitas desocupados. Um inferno. O noticiário passa na televisão ligada dentro de sua sala, e ela reclama que aquele político corrupto não faz nada além de roubar, esquecendo-se que foi nele quem ela votou alguns meses antes. Abre um site, lê um texto qualquer que faz piada com judeus e muçulmanos; ri por dois minutos seguidos, abre outra página, lê um comentário irônico sobre sua religião e imediatamente reclama da ignorância alheia. Sai mais cedo do serviço: o chefe, viajando, nunca irá saber do fato.

Saindo do prédio, avista dois homens de mãos dadas e atravessa a calçada para evitar passar por perto. Que nojo; este mundo está perdido. Na minha época não tinha nada disso, as pessoas eram mais corretas; Deus criou Adão e Eva e é assim que deve ser. Filho meu, se fosse gay, não entrava em casa.

Sinal vermelho. De dentro do carro, olha para o lado e vê uma mulher com a saia três palmos acima do joelho. Depois reclama de cantada, de assédio… Assanhada desse jeito, só pode estar querendo isso mesmo. Ah, se fosse filha minha… Filha minha seria filha pra casar. Mulher de respeito não anda vestida assim, não.

Acende um cigarro e troca mensagens de texto enquanto dirige, aproveita para compartilhar um post no Facebook que prega o discurso de “bandido bom é bandido morto!”. Escuta uma notícia na rádio sobre gravidez precoce e logo se lembra da filha de fulana que engravidou aos 18 e considerou abortar. Que ideia absurda, meu Deus do céu. Vê se pode, tirar uma vida por causa de uma irresponsabilidade, um erro juvenil!

O trânsito é intenso, mas respira aliviada após quinze minutos: conseguiu chegar a tempo para a missa das cinco. Ajoelha-se, calma, e reza pedindo por um mundo melhor.