LANÇA O BARCO CONTRA O MAR

Ouvir Rubel é sempre doloroso demais porque desperta algum sentimento rudimentar aqui dentro. Que arde. E queima. E grita. E a sinapse se completa e tudo volta e tudo vai.

(Sempre foi assim, desde a primeira nota).

rubel500

Quero ser capaz de escrever poesia assim, sabe, algum dia. Dessas que fazem doer, que fazem os dentes caírem, que molham travesseiros, que sejam tão poderosas e intensas que as pessoas considerem apelar pra uma fé que elas nem sabiam que tinham mais, assim como eu faço quando a melodia invade o escuro e o silêncio do meu quarto e traz essa paz que dói, mas que não deixa de ser paz.

Eu gosto dessas coisas. Dessas que desvendam a alma da gente antes mesmo de conseguirmos nos desvendar. Que nos deixam perguntando o quê, quando, como, onde… Buscando por motivos, por consequências sem causa, qualquer resposta entre os versos.

Não há, no entanto. Nunca há.

Só há o vazio e a voz, que traz o tudo.