CONSIDERAÇÕES SOBRE O AMOR E O ATO DE PRATICÁ-LO

Já quero começar isto tudo pedindo desculpas por eu ser um clichê irreparável, uma romântica exagerada e uma dramática incorrigível. O sentimentalismo é um fardo que carrego sem questionar, fico calada, quieta, aceito a condição.

Fonte: http://igay.ig.com.br/2015-03-05/campanha-pela-diversidade-nos-estados-unidos.html

Difícil é viver num tempo em que o amor é algo subestimado, reduzido a algo de importância mínima, cotidiano e comum. Os poemas sentimentais estão em extinção, as declarações (quando digo “declarações” não quero me referir a nada grandioso. Qualquer frase sincera e carregada de emoção já é válida e extraordinária) são feitas mais por obrigação que por vontade própria e as histórias de amor se resumem a triângulos amorosos previsíveis e chatos.

Devo destacar que não estou aqui para defender o romantismo ou os hábitos piegas tão condenados nos dias de hoje. Antes de tudo, julgo e destroço a teoria de amor estereotipado que gritam por aí, uma verdade absoluta que a maioria concorda e dissemina sem pensar duas vezes, como um dogma religioso: quando o assunto é a relação entre um casal, o amor só pode ser romântico. Discordo, protesto, grito que não. Não existe (e nem deveria existir) apenas o amor romântico. Flores, músicas, jantar a luz de velas: o romantismo é apenas uma categoria, uma vertente dentro de tantas outras existentes nesse universo de possibilidades. Cada um sabe o que sente e como demonstrar tal coisa. Não cabe a ninguém julgar ou regrar o amor alheio e isso nos leva a outro ponto importantíssimo: nenhum tipo de relacionamento deveria ser considerado inferior ou errado, independente da religião, da nacionalidade ou – chocante! – do sexo dos envolvidos. Parafraseando Bukowski, “o amor é tudo aquilo que dissemos que não era”: amar não é algo teórico, é algo prático. Tentar cercar ou limitar o sentimento ditando o que é certo, o que é errado ou o que é válido é um erro enorme (e mata!). O amor não tem regras, mandamentos nem manual de instruções. Cabe apenas a mim decidir como e quem vou amar, me envolver e me dedicar: ninguém dita como devo lidar com meu sentimentalismo nem com quem devo exercê-lo.

A verdade é que tudo que há é simples e objetivo: as pessoas é que complicam tudo impondo tantas limitações. O amor é justo, certo e, principalmente, livre. É a força que rege este mundo e é o que nos mantém vivos, superior a qualquer fobia. Acima de qualquer outra crença, eu acredito no Amor com A maiúsculo: qualquer forma, qualquer categoria, nos pequenos atos, nos mínimos detalhes. Acredito em sua natureza própria e em sua constante luta para manter-se vivo em uma época em que tudo e todos parecem estar tentando assassiná-lo.

12 comentários sobre “CONSIDERAÇÕES SOBRE O AMOR E O ATO DE PRATICÁ-LO

  1. Só voltar ao Sec XII e tudo começa a ter sentido. Quando puder leia – “O amor é um cão dos diabos”, de Charles Bukowski, vou procurar nos meus livros guardados. Excelente texto Sofia.

  2. ei Sofia, adorei seu texto e compartilho com você a ideia de que o amor é condição imperiosa para vivermos o cotidiano que anda tão duro e complexo e, mais do que isso, partilho com vc também a ideia de não “regramentos” para vivermos e experimentarmos o amor!
    Fui professora da sua mãe e sempre soube do seu gosto pela escrita e adorei ler seu texto tão pontual e importante nesse momento!!
    beijinhos,

    wânia maria

  3. Nestes tempos de império da bobagem e da tacanhice chega a me emocionar encontrar uma moça de 15 anos dizendo sobre o Amor com tanta vontade, com tanta maturidade e ainda por cima com intimidade com as palavras. Emociona-me porque me dá esperança de ver um mundo melhor. Você está me fazendo sonhar, Sofia. Vou torcer por você. Siga contando sobre o Amor porque nem de reza, nem de louvor, o que necessitamos é de rima e de Amor. Só o Amor salva.

  4. Texto com coerência e coesão. Mas muito mais que isso: a sensibilidade da jovem escritora transborda nas suas palavras. Parabéns pelo novo texto.

  5. Realmente muito bom este post! Conteúdo Relevante!
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens.
    Trabalho pela internet a alguns anos com meu blog de decoração e adoro
    tudo referente ao assunto. Sei que o assunto não é decoração mas adoro
    saber novidades em diferentes nichos e áreas. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *