CANSADA DE QUEM EU MESMA ESCOLHI SER

Créditos do título para o meu maior amor da música nacional atualmente, Cícero, que fala com uma intensidade descomunal em uma canção: “e diz que só queria descansar de quem a gente mesmo escolheu ser”.

cc3adcero
Eu não sou a pessoa mais interessante do mundo. Não sou do tipo que faz tudo por impulso, que é imprevisível, que possui objetivos de vida completamente alternativos, que vive em paz com a própria identidade sem dar a mínima pra opinião alheia.

Não sou dessas que fala tudo que passa pela cabeça, que é espontânea, leve, que se encaixa e adapta em qualquer lugar, em qualquer grupo, com qualquer pessoa. Não sou tão versátil, não sou tão extensa.

Sou pesada, sou paranóica, sou meio louca. Sou meio torta, detalhista, metódica, pura análise, observação. Na maior parte do tempo, sou o movimento calculado misturado ao individualismo de ser livre para ser o que eu quiser, tomando goles eventuais de impulsos mal pensados. Sou crítica, principalmente comigo mesma, ansiosa, prisioneira das minhas manias de auto avaliação. Sou a sede por mais, a vontade de saber tudo que existe, a curiosidade, o desejo incontrolado. Sou o erro.

Tento ser quem não sou com frequência; adoto características que admiro e me esforço para aderir ao meu modo de vida. Queria ser menos dependente de rótulos, de fórmulas, de definições, da necessidade do controle. Tenho que aprender que não preciso ter medo de perder a direção – quem disse que é algo que devemos evitar? Já escutei uma vez que perder-se também é caminho. Tento me permitir ser, me permitir perder o rumo sempre que posso e tenho que começar a perdê-lo até mesmo nas horas mais proibidas. Sair dos trilhos, largar as rédeas, ser mais acaso, ser mais mudança. Mudar o que incomoda em mim sem deixar de ser eu.

Cícero canta, melodioso: sair de casa, ir para a praia, melhorar tudo que há, conhecer tudo que é. E morrer de rir.

4 comentários sobre “CANSADA DE QUEM EU MESMA ESCOLHI SER

  1. Quem disse que tem “certo”? Que disse que vc é erro? Vc pra mim foi meu maior acerto! Eu já acho que sou reticências…e vejo o mesmo em vc! Em busca de mais, de continuidade! E esse buscar mais nos torna ansiosas rs… Te amo!

  2. Sofia, obrigada por tornar concreto sentimentos que compartilhamos! Grata por ser porta-voz de tantas almas… Feliz dia dos professores! Citarei um outro artista mais antigo que nos ensina a ser uma metamorfose e nos deliciarmos com as mudanças constantes.
    Beijos e parabéns por expor suas reflexões!

  3. Como já disse Drummond, repetido mil vezes, mais uma com esta:

    “Quando nasci, um anjo torto
    desses que vivem na sombra
    disse: Vai, Carlos! ser gauche na vida”.

    Ser diferente, irrequieto e crítico não é falha. Muitas vezes é descoberta, criatividade e mudança de filosofias e seguranças que nos ditam. A minha fortaleza é no questionamento fora do comum.

  4. Olá Sofia

    Tomei a liberdade de publicar seu texto na minha página do Face, porque ele simplesmente fez um resumo de uma essência que ainda era desconhecida para mim. Foi esclarecedor … libertador. Agradeço pela experiência fantástica.
    Abraços!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *